No dia 25 de novembro o Promundo-Brasil sediou a Reunião de Planejamento do Grupo de Trabalho (GT) Homens pela Primeira Infância, da Rede Nacional Primeira Infância (RNPI), que contou com a presença de representantes de iniciativas de promoção da paternidade e do cuidado, de organizações da sociedade civil e do governo, incluindo Instituto Papai, Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Aleitamento.com, Aldeias Infantis, Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP), e Área Técnica de Saúde do Homem do Ministério da Saúde.

Durante a reunião foi realizado um balanço do trabalho do GT em 2015, cujo esforço maior se concentrou no desenvolvimento do Seminário Nacional Paternidade e Primeira Infância (realizado nos dias 26 e 27 de agosto), tendo como desdobramentos ações de promoção da paternidade e do cuidado por parte dos homens. Na ocasião foi discutido também o planejamento de ações para os próximos dois anos, sob coordenação do Instituto Papai.

O GT Homens pela Primeira Infância foi apresentado nos dias 26 e 27 de novembro durante a Assembleia da Rede Nacional Primeira Infância.

Sobre a Rede Nacional Primeira Infância

A Rede Nacional Primeira Infância (RNPI) reúne mais de 160 organizações no Brasil todo que atuam na defesa e promoção dos direitos das crianças até seis anos, entre elas ONGs, associações, fundações, secretarias de governo e ministérios. Os integrantes da RNPI atuam em diferentes áreas pela defesa, garantia e promoção dos direitos das crianças pequenas: na prevenção e combate à violência contra crianças, prevenção de acidentes, educação infantil, assistência social às crianças e suas famílias, saúde infantil e das gestantes, promoção da paternidade, importância do brincar para as crianças pequenas, participação das crianças nas políticas públicas, entre outros temas.

A Rede Nacional da Primeira Infância atualmente colabora para a aprovação do Projeto de Lei do Marco Legal da Primeira Infância, que determina um conjunto de ações para as crianças, entre elas, ampliar a qualidade do atendimento, inclusive, com a criação de novas funções públicas, que cuidem do início da vida, de modo a valorizar o papel da mãe e do pai junto à criança, assim como criar espaços públicos para garantir que as crianças tenham locais adequados para se desenvolver. O projeto também propõe a ampliação da Licença Paternidade de cinco para 20 dias. Para ter esse direito o pai deverá participar de cursos sobre paternidade responsável.

Saiba mais sobre a RNPI em: http://primeirainfancia.org.br/