Um desdobramento da campanha internacional MenCare, o programa MenCare+, +Pai na versão brasileira, concluiu o seu terceiro ano de atividades no Brasil em janeiro de 2016.

Fruto da colaboração entre Promundo e Rutgers WPF, com apoio do Ministério das Relações Exteriores da Holanda, o programa visa engajar meninos e homens com idades entre 15 e 35 anos como parceiros na saúde materna e infantil e na saúde sexual e saúde reprodutiva, a partir de quatro linhas de atuação: Promoção dos Direitos Sexuais e Saúde Reprodutiva; Promoção da Saúde Materna e Infantil; Promoção da Violência Baseada em Gênero e Advocacy.

Como resultado de três anos dessa ampla atuação, o projeto alcançou resultados expressivos. Por meio de campanhas comunitárias e de advocacy, o projeto alcançou 76.110 pessoas. Inclusas nos esforços de campanha estão “Você é meu Pai”, versão brasileira da campanha MenCare, “Dá licença, eu sou pai!”, que defende a ampliação da licença paternidade no Brasil, e “Pai não é visita”, que reivindica o cumprimento da lei do acompanhante, incentivando os pais a estarem presentes na sala de parto.

Os treinamentos nas áreas de paternidade, cuidado, violência baseada em gênero e saúde sexual e direitos reprodutivos, realizados no âmbito do projeto, alcançaram 1240 pessoas, entre elas profissionais de assistência social, educação, jovens multiplicadores e lideranças comunitárias. Também foram capacitados 511 profissionais de saúde para atuarem como facilitadores de grupos reflexivos nas temáticas relacionadas à paternidade e ao cuidado de aproximadamente 100 unidades básicas de saúde.

845 jovens participaram de oficinas de sensibilização em gênero e sexualidade e cerca de 10.000 alunos da rede pública de educação foram alcançados pela campanha Sem Vergonha!, que teve o intuito de sensibilizar as adolescentes sobre os seus direitos sexuais e reprodutivos e promover a equidade de gênero. Para a campanha, ainda foram capacitados 176 adolescentes para atuarem como seus promotores.

Em parceria com o Instituto Noos, foram realizados grupos reflexivos sobre violência baseada em gênero com a participação de 93 homens. Também foram realizados grupos reflexivos com pais e mães sobre paternidade e cuidado baseadas na metodologia do Programa P: Manual para o Exercício da Paternidade e do Cuidado, com a participação de 147 pais e mães.

Na linha de advocacy, o destaque foi a aprovação do Marco Legal da Primeira Infância, aprovado na Câmara dos Deputados em fevereiro de 2015, seguindo agora para sanção presidencial. No projeto de lei do Marco está prevista a ampliação da licença-paternidade de cinco para 20 dias no caso de funcionários de empresas do programa “Empresa Cidadã”, além da valorização da formação dos profissionais que atuam na primeira infância, e a previsão de participação das crianças pequenas na elaboração de políticas públicas voltadas a elas.

Os esforços de advocacy realizados para a aprovação do Marco Legal da Primeira Infância tiveram participação importante da Rede Nacional Primeira Infância, da qual Promundo participou através da criação do GT Homens pela Primeira Infância.